Vacinas, poder e eleições

Imagem: Metrópoles

Para instrumentalizar sua narrativa política de oposição ao Governo Federal mirando 2022, Dória empilhou mortos diariamente, adotou uma estética lúgubre e agora raptou o Butantan.

O Instituto não é mais um produtor de imunobiológicos e pesquisa biomédica do País, ele é DE SÃO PAULO e O DORIA, GOVERNADOR DE SP, é quem estaria fabricando imunizantes aos estados e municípios. Para que eles possam receber/comprar(?) esta vacina, prefeitos e governadores estão assinando um “Protocolo de Intenção” da compra da vacina.

A FECAM (Federação Catarinense dos Municípios) foi hoje lá assinar o tal protocolo. O porta voz da FECAM em entrevista falou coisas do tipo “cenário de incerteza sobre o Plano Nacional de Imunização” e “se preparar para, de fato, fazer planos para a vacinação, quando ela estiver disponível”.

Vamos aos fatos.

1)Travestidos de Messiânicos Sanitários, políticos, municípios, estados e federações que NÃO DERAM UM PIO SOBRE O SARS COV-2 nas eleições, liderados por Doria voltaram a fazer oposição ao governo, agora não mais empilhando mortos diariamente e sim implementando um plano de vacinação paralelo para terem em sua posse a bandeira dos que curaram o Brasil do Corona vírus.

2) O PNI (Plano Nacional de Imunização) é de responsabilidade do Governo Federal. É ele quem aprova vacina, distribui e aplica na população, não é estado, Butantan, FioCruz ou qualquer outro instituto e talvez para a SURPRESA DE alguns Prefeitos, Governadores e até o porta voz da FECAM o PNI existe há quase meio século, reconhecido internacionalmente, erradicou doenças como a Febre Amarela Urbana, Poliomielite, Varíola e alcançou em termos de imunização o que NENHUM OUTRO PAÍS COM DIMENSÕES CONTINENTAIS NO MUNDO CONSEGUIU. Isso quem diz não sou eu não, é um pequeno documento de mais de 290 páginas, cujo nome é PNI e que está a disposição dos senhores Prefeitos, Governadores e Federações para conhecerem um poucos mais acerca desta questão. Muito me admira ver prefeitos que atuaram na área da saúde indo a São Paulo participar desse teatro do PSDB e de João Doria.

3) NÃO EXISTE VACINA APROVADA. Como pode Doria dar datas se nem vacina existe? Ora, não se trata de vacinas ou calendários mas de PODER e ELEIÇÕES. O Governo ACABOU DE APROVAR NO CONSELHO DA ANVISA regras para uso emergencial de vacinas. Isso significa que ao FDA aprovar a vacina da Pfizer, por exemplo, poderemos aprovar rapidamente ela aqui também e consequentemente implementar o PNI e vacinar as pessoas que queiram ser vacinadas. Mas quem vai fazer isso É O GOVERNO FEDERAL, NÃO É O DORIA OU O SEU PROTOCOLO DE INTENÇÕES ELEITORAIS.

Bem vindos as eleições de 2022.



Categorias:ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Deixe uma resposta