URNAS FR4VDÁVE1S PARA ELEGER LUL4

Tempo de leitura: 1 minuto

O relator da PEC do Voto Auditável , Deputado Federal Felipe Barros (PSL/PR) teve acesso ao inquerito 1361.2018 da PF onde o TSE afirmou categoricamente: As urnas são violáveis. O relatório dado a PF oriundo do inquerito instaurado pela ministra Rosa Werber (então presidente do TSE na época) é chocante.

O TSE afirma que a primeira invasão se deu em 18 de abril de 2018, através do TRE de Pernambuco. E como o hacker invadiu o TRE de Pernambuco? Ele utilizou uma senha de uma empresa terceirizada que presta serviços de telefonia ao TRE da Paraíba e através disso acessou o TRE de Pernambuco e de lá os outros TRE’s do país.

Dentro dos TRE’s ele usa várias senhas (inclusive do coordenador de infraestrutura do TSE) e então consegue acesso ao TSE. O mais grave vem agora: o hacker teve acesso a sessão de votos informatizados, onde fica o CÓDIGO FONTE das urnas e para a surpresa de todos, esta área NÃO TINHA NENHUMA CAMADA A MAIS EM SEU SISTEMA DE SEGURANÇA A NÃO SER A SENHA DE ACESSO.

Se você aplicou A AUTENTICAÇÃO DE DOIS FATORES EM SUA CONTA NO FACEBOOK, ELA É MAIS SEGURA QUE O SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO. O que é o Código Fonte? ele permite você alterar o sistema eleitoral da maneira que quiser, inclusive direcionar votos a partir de um determinado momento, por exemplo. Questionado pelo delegado da PF onde teria andado e quais áreas o hacker teria violado o TSE informou que APAGOU OS RASTROS E VIOLAÇÕES DO HACKER “SEM QUERER”. Ou seja, se ele alterou as eleições de 2018 lá estaria a prova, mas ela foi apagada SEM QUERER.

O inquerito concluiu ainda, através de pericia, que a informação do hacker é verdadeira. Ou seja: A PF e o TSE afirmaram que o sistema eleitoral brasileiro foi invadido, por tanto é inseguro

Voto Auditável Já!



Categorias:ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Deixe uma resposta